quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Talvez seja o teu olhar ou até mesmo o teu sorriso. O teu jeito de falar ou o teu jeito de agir. Teu jeito de andar ou o teu jeito de brincar. Se nem eu sei ao certo qual foi o motivo por eu ter me apaixonado por você, quem mais irá saber? Eu só sei que você é diferente e estranho de todos os outros e para todos os outros. Quem sabe isso, seja porque você é feito pra mim?

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Minha alma assim fraqueja, ao som de tudo aquilo que grita na face do desespero, trilha sonora perfeita para aguçar minha paz composta pelo caos mundano.
    Por fim minha calma toca o suicídio, como o corpo daquele que deita nas águas e alcança a sua notável transparência. Nada mais aqui tem sentido suficiente para ser verdadeiro; O irreal transpassa seu calor de caridade sobre minha vida carente de fantasias, carente de alegrias, carente de sonhos encorporados pelos erros de minha imperfeição.
    Adoto agora uma utopia; Crio um mundo onde posso repousar, onde posso brincar com o novelo das linhas do tempo, transformar anos amargos em simples momentos, e converter os bons instantes em permanentes estações; Primaveras de névoas cinzentas, e invernos de borboletas ciumentas, que doam um pouco de cor, um pouco de amor, a todas as flores que morrem pela dor de não poderem voar, e ao lado dos ventos dançar.
    Crio nessa brecha de mim com o resto do mundo um apocalipse individual, um desfecho proposital; E que haja muitos aplausos, no final deste meu teatro sem platéia.
    O sono quase me abraça, e meus olhos pesados vão me cegando. Talvez com estes meus olhos fechados eu encontre o que eu quero enxergar, um mundo épico de magia. Extinto pela insignificância da mente perturbada, dos monstros que governam os impérios dessa terra.
    Acho que vou mesmo fechar os meus olhos, e vou voar com as asas dos meus sonhos, e lá do alto vou me jogar. E se eu cair. Bom, se eu cair… tomara que não haja forças para me parar. […] Através desse erro de destinos, somente a compreensão da morte, poderá me julgar. Somente a morte poderá me fazer sentir a vida dentro de mim.”
Anndré Frëak , (Prisioneiro da Morte)
  “Devo confessar que está sendo insuportável ter que prosseguir com tudo isso. Essa vida que estou sendo obrigado a viver, faz parte de tudo aquilo que eu sempre tive mais medo de vivenciar. É o gosto que eu mais evitei degustar; Diante desse labirinto de pesadelos só me resta esperar com fé por aquela velha história de que finais felizes acontecem, ansiosamente. 
    A impaciência se torna minha mais explícita rival. Eu sinto que ela brinca comigo, como se eu fosse um ventríloquo indefeso, fácil de se manipular, de se brincar, de se usar. […]
    Enquanto olho a noite tão bela e inspiradora pela janela de meu quarto, só o silêncio das vozes carnais calam o ambiente, e assim eu posso me ouvir, dentro de mim mesmo, se afogando no acúmulo dos meus desejos trancados que aqui existe, tentando de alguma forma fugir, se libertar dessa constante tribulação. Sair desse cativeiro de regras ridículas e enfim poder correr pelas ruas dos próprios sonhos. Correr, correr e correr, sem ter medo de se cansar.
    E que haja na minha vida catástrofes impetuosas, que traga uma terrível dor momentânea, mas não deixe nunca mais ela voltar, nem que seja para me visitar, nem que seja por saudade.
        E que venha os ventos suaves, e se não forem suficientes, venha as tempestades da vida; Que machuque, mas que tire de mim todos os vestígios de dores, nostalgias, rancores, e amores mal-amados. E se essa tempestade machucar, ficarei feliz por isso; […]
    Os sorrisos estão na linha de chegada, mas o caminho você percorre chorando.”

Anndré Frëak , (Prisioneiro da Morte)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Digo com toda a certeza que posso ser comparada á um livro. Alguns, me julgaram pela capa e nem tiveram o interesse de folhear as páginas. Outros, leram quatro ou cinco capítulos e logo se enjoaram, me substituindo por outro livro qualquer. Alguns, me deixaram no cantinho mais empoeirado da prateleira, e só voltaram a ler quando precisavam do o livro tinha á oferecer. Poucos leram por completo, mas não sentiram nada durante a leitura, não se deram ao trabalho de tentar enxergar a essência do livro. Alguns, chegaram bem perto do final mas pararam por ali mesmo. Me abandonaram, mesmo que aparentassem ser leitores fiéis. Pra falar a verdade, ninguém nunca me manuseou como deveria, ninguém nunca me interpretou com a alma. E é por isso que eu espero por alguém que seja fiel á minha obra. Espero pela pessoa que sinta cada palavra, que se encante por cada capítulo. Espero por alguém que mal durma só pra ler mais um pouquinho e que acorde já procurando o livro na cabeceira. Espero por alguém que me prefira á um best seller, que nunca me abandone mesmo com os defeitos que vieram de fábrica.


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Eu me apego fácil e demoro pra esquecer. Combinação explosiva para um coração fraco como o meu.
Tenho sentido coisas inexplicáveis, carências incuráveis. Ninguém acredita, mas eu sou uma pessoa muito sozinha. Não pense que isso é ruim não, porque ruim é não sentir nada, a solidão faz parte. Tenho sentido uma vontade sobrenatural de ligar para alguém que já não me atenderia mais, tenho vontade de dizer que faz falta o que não vivi.
Aprendi com a vida que certas coisas não precisam entender, explicar e encontrar respostas. Por mais que amores verdadeiros fiquem separados, sem manter contato por anos e sem intenção de ficarem juntos, a gente sabe que no final, sempre voltarão a se encontrar. Por que se for verdadeiro, no fim sempre acabaram juntos.
Foi de tanto disfarçar colocando vírgulas e reticências no lugar do ponto final, que minha história acabou ficando confusa e sem sentido.
Você pode não ser o primeiro homem dela… O último homem dela ou o único homem dela. Ela amou antes, pode ser que ela ame de novo. Mas se ela se ama agora, o que mais importa? Ela não é perfeita - você também não é, e vocês dois podem nunca ser perfeitos juntos, mas se ela te faz rir, te faz pensar duas vezes, e admite ser humana e cometer erros, segure-se a ela e dê a ela o máximo que você puder. Ela pode não estar pensando em você a cada segundo do dia, mas ela te dará uma parte dela que ela sabe que você pode quebrar - o coração dela. Então não machuque ela, não mude ela, não analise e não espere mais do que ela pode dar. Sorria quando ela te fizer feliz, diga a ela quando ela te deixar com raiva, e sinta a falta dela quando ela não estiver por perto.
Bob Marley